perfil-sobre-campanha-de-vacinacao-nas-emrpesas

Por que vacinar?

Quando falamos na importância das campanhas de vacinação nas empresas, vamos tentar entender um pouco sobre “vacinas”.

A vacina é uma das maneiras mais eficazes para prevenir algumas doenças. A vacinação sensibiliza o sistema imunológico do organismo, fazendo com que ele crie defesas, anticorpos especiais contra uma série de doenças que quando ocorrem, podem acarretar a morte ou deixar graves sequelas na pessoa acometida.

A importância da vacinação não está somente na proteção individual, mas porque ela evita a propagação em massa de doenças que podem levar à morte ou a sequelas graves, comprometendo a qualidade de vida e saúde das pessoas vitimizadas.

A importância da vacinação não está somente na proteção individual, mas porque ela evita a propagação em massa de doenças que podem levar à morte ou a sequelas graves” (Fiocruz)

Afinal, por que as campanhas de vacinação nas empresas é importante?

Além de prevenir a proliferação de doenças transmissíveis e beneficiar a qualidade de vida do trabalhador, as campanhas de vacinação nas empresa, são excelentes para reduzir o número de faltas (absenteísmo) e manter a produtividade de toda a equipe. Uma vez que diminui os riscos de problemas de saúde, promove o bem-estar de todos e, inclusive, melhora a reputação de uma empresa no mercado.

Essas ações são tão benéficas que alguns profissionais em idade mais avançada vêm sendo imunizados não apenas contra gripe, mas também pneumonia e outras doenças.

Investir na vacinação em empresas é uma forma prática e poderosa de diminuir o número de complicações infecciosas em uma corporação. É extremamente desgastante trabalhar nessas situações, uma vez que não conseguimos nos concentrar em nossas atividades e ficamos com a impressão de que o trabalho não foi tão bem executado como deveria.

Imagina a empresa com a mão de obra deficitária? Certamente, o rendimento geral vai ficar bastante comprometido.

Dentre as vacinas mais conhecidas no setor está a que age contra a gripe e a as hepatites. Sendo assim, que tal entender um pouco mais sobre assunto?

Abaixo, estamos passando algumas dicas e como essa prática pode oferecer inúmeros benefícios!

Quais os reais benefícios das campanhas de vacinação nas empresas?

São inúmeras as vantagens, sendo que a primeira está no controle de doenças infecciosas, que se propagam com facilidade em ambientes fechados e com grande concentração de pessoas — como os espaços corporativos.

A gripe é uma dessas complicações que, quando surge, pode desencadear surtos em toda a equipe, fazendo com que os funcionários faltem em peso.

É aí que entra a importância da vacinação em empresas. Ao realizar a imunização corporativa, é possível prevenir, de forma prática e eficaz, esse cenário. Você acaba com o índice de doenças infecciosas no ambiente corporativo, mantendo os colaboradores mais saudáveis, concentrados e dispostos a entregar as suas tarefas dentro do prazo.

Redução a proliferação de doenças transmissíveis na sociedade

Outra grande vantagem, é que a vacinação em empresas oferece benefícios não apenas ao empregador. Em um primeiro momento, tal cultura pode parecer um tanto desnecessária, mas ela é capaz de proteger os trabalhadores e, inclusive, evitar a transmissão de doenças para clientes, parceiros ou, até mesmo, pacientes, no caso de empresas que atuam na área da saúde.

Essa é uma atitude, que amplia a proteção da população e no fim das contas, todos saem ganhando. Principalmente, os idosos, crianças ou pessoas com deficiência imunológica baixa, os mais vulneráveis.

Cerca de 76% dos pacientes não completam os calendários básicos de imunização. Destes, apenas 7% recebem a orientação adequada.

Vacinação incluída no PCMSO*

A vacina é uma das principais aliadas do serviço de saúde ocupacional porque permite, a partir de ações simples e de baixo custo, alcançar seu objetivo: a saúde dos trabalhadores, com diminuição do risco de absenteísmo.

Além disso, um programa bem elaborado será percebido pelos funcionários como mais um benefício e, pela empresa, como uma ferramenta que assegura o ritmo de produção, evitando faltas, licenças temporárias por motivos de saúde e as aposentadorias precoces.

É recomendado que a vacinação deve estar incluída entre os temas a serem trabalhados durante todo o ano e não apenas na Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT).

Calendários de Vacinação

Nos Calendários Vacinais da SBIm, os elencos de vacinas são apresentados de acordo com as recomendações e características especiais de cada faixa etária ou grupo.

É importante uma empresa estar engajada no Programa Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).

Campanhas educativas visando a melhoria da saúde do trabalhador brasileiro são incentivadas. Assuntos como a obesidade, as doenças do coração, a Aids, e a saúde da mulher, entre outros, já fazem parte do cotidiano das grandes empresas.

Proteção para os clientes atendidos pelo trabalhador

Em algumas atividades, a vacinação do trabalhador é indicada para a proteção do cliente ou do consumidor, com o objetivo de evitar que este trabalhador contagie terceiros.

Podemos citar algumas vacinas recomendadas com esse objetivo:

1. Para os trabalhadores da Saúde:
    • Vacinas influenza, para todos;
    • Varicela, para aqueles lotados em unidades de pacientes imuno-deprimidos e pediátricos;
    • Pertussis, para aqueles que trabalham na neonatologia, na pediatria e com pacientes portadores de doença respiratória crônica.
2. Para trabalhadores que manipulam e servem alimentos:
    • Vacina hepatite A, diante do risco de contaminação dos alimentos a serem consumidos por terceiros.

A importância da vacinação do trabalhador que viaja

A medicina para o trabalhador viajante deve ser parte integrante da medicina do trabalha. Ou seja pela proteção do capital investido ou pela possibilidade de evitar prejuízo decorrente de um eventual afastamento por doença. Sem contar a responsabilidade legal da empresa.

Alguns estudos epidemiológicos apontam que de 20% a 70% dos viajantes atribuem a uma recente viagem algum problema de saúde.

Dengue, hepatite A, febre amarela, Inluenza, febre tifóide e demais gastrenterites são doenças com grande potencial de acometer o viajante

Doenças que merecem atenção

As doenças que merecem atenção especial no tocante ao viajante são: influenza, hepatite A e febre amarela.

Influenza

Quem viaja esta mais sujeito a contrair a influenza, em outas palavras, a exposição aos vários ambientes num espaço de tempo relativamente curto, é um risco maior.

Além disso, muitos deles estão em locais fechados com grande concentração de pessoas (salas de espera e check in de aeroportos, filas de controle de imigração etc.).

As viagens internacionais são eventos particularmente estressantes, pois são ambientes muitas vezes de ar frio e seco devido à climatização de aeronaves e aeroportos, além disso, temos as variações de fuso horário.

A vacinação contra influenza deve ser anual e está recomendada para maiores de 6 meses de idade.

Se o viajante já foi vacinado no ano contra a influenza, não há motivo para a revacinação. Resumindo, uma vez vacinado, as doses adicionais não oferecerão maior proteção.

Hepatite A

A disponibilidade de uma vacina eficaz e de excelente tolerância faz da vacinação contra a hepatite A, como resultado, é a recomendação para a maioria dos locais.

Em primeiro lugar, é importante entender que sempre que não houver garantia da qualidade dos alimentos e da água, como em determinadas regiões de praia, a vacina contra a hepatite A deve ser utilizada.

A vacina é constituída de vírus inativado e tem baixa incidência de efeitos colaterais.

Em conclusão, poucos países incluíram essa vacina na rotina.

A vacinação é recomendada para pessoas que se dirigem a áreas de incidência elevada ou para as que não poderão adotar outras medidas de prevenção.

A resposta a uma única dose é usualmente protetora, mesmo quando utilizada pós-exposição.

A imunização contra hepatites A e B são consideradas as medidas de maior impacto na redução de mortalidade de viajantes.

Febre amarela

Uma das poucas vacinas exigidas para ingresso em alguns países, dependendo da origem do viajante e do país, é a da febre amarela.

Como a doença ocorre no Brasil, há necessidade de certificado de validade internacional, fornecido pelo serviço de saúde dos portos e aeroportos.

No Brasil, a vacina de febre amarela não está disponível comercialmente, apenas nos serviços públicos.

A  vacina de febre amarela é de excelente eficácia e duração.

O certificado internacional tem validade de dez anos, a partir de 14 dias após a vacinação, quando se tratar da primeira ou imediatamente, quando da revacinação.

Para esclarecer, a vacina não é recomendada para menores de 1 ano de idade, ainda que crianças vivendo em áreas de alto risco possam ser vacinadas a partir dos 6 meses

As autoridades alfandegárias e sanitárias de muitos países exigem certificado de validade internacional de vacinação contra a febre amarela

Após a leitura, você conseguiu entender sobre a importância da vacinação em empresas?

Sua empresa só tem a ganhar: mais credibilidade no mercado, funcionários saudáveis e grande retenção de talentos.

Um aviso: antes de contratar qualquer serviço de vacinação corporativa, é importante que os gestores façam um estudo detalhado, com o objetivo de identificar a real necessidade de proteção para os membros da sua equipe.

Para esclarecer as suas dúvidas ou receber mais informações sobre o assunto, entre em contato conosco.

A Perfil Gestão Ocupacional está à disposição para ajudar você a implantar estratégias capazes de melhorar a qualidade de vida na sua empresa.

 

Fontes: SBIM, Ministério da Saúde, ANVISA

Comentários (3)

  1. Nathália
    17/02/2020

    Muito importante!

    • Perfil Gestão Ocupacional
      17/02/2020

      Realmente Nathália! É muito importante a prevenção através da vacinação.

  2. Laura Leonel
    17/02/2020

    Muito bom!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha *