FAQ - DÚVIDAS FREQUENTES

Informações Gerais
  • O que é o novo coronavírus?

Os coronavírus causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, são doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Já o novo coronavírus é uma nova cepa do vírus (2019-nCoV) que foi notificada em humanos pela primeira vez na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China.

  • Quais são os sintomas da COVID-19?

Tosse, febre (acima de 37,8º), dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para engolir, dor de garganta, coriza, saturação de oxigênio menor que 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia.

  • Quais são as formas de transmissão do Covid-19?

Pelo ar, através de gotículas de saliva que saem quando você espirra, tosse ou fala. Essas gotículas podem atingir bocas, olhos e nariz de outras pessoas, momento em que ocorre a transmissão. O contato físico também pode transmitir o vírus por meio de beijos, abraços e apertos de mão.

Superfícies não higienizadas, como celulares, maçanetas, corrimões, botões e objetos em geral, também são um risco. Isso porque a pessoa, ao tocar em qualquer coisa, pode estar com a mão contaminada e depositar o vírus ali. Posteriormente, outra pessoa encostará na superfície, trará o vírus para sua mão e, se levar a mão ao rosto, o vírus rapidamente entrará em contato com o organismo e ocorrerá a infecção.

  • Quando devo procurar um médico?

Febre, tosse, aumento de secreção, coriza, congestão nasal e dor de garganta são alguns dos sintomas mais frequentes do Covid-19. A recomendação é que, se você apresentar esses sintomas a nível moderado, permaneça em casa, em isolamento. Isso ajuda a não superlotar as unidades de saúde.

Contudo, em caso de piora ou persistência da febre e falta de ar, procure a unidade de saúde mais próxima (e utilize uma máscara cirúrgica para evitar que as gotículas expelidas pela tosse ou espirro atinjam outras pessoas).

  • Como é feito o diagnóstico do coronavírus?

A partir da coleta de amostras respiratórias de pacientes considerados suspeitos, são realizados testes baseados em técnicas de biologia molecular.

  • Quanto tempo o vírus sobrevive nas superfícies?

O novo coronavírus pode sobreviver e permanecer capaz de contágio por períodos diferentes em superfícies diferentes e não há um consenso sobre esse período. Em estudo recente, o novo coronavírus sobreviveu por 72 horas (3 dias) no aço inoxidável e no plástico; no papelão, a sobrevida foi de 24 horas (1 dia); e no cobre, por 4 horas.

  • Posso pegar a COVID-19 do meu animal de estimação?

Embora esse vírus pareça ter surgido de uma fonte animal na China, o risco nesse momento é com a transmissão entre pessoas. Não há, até o momento, evidência de que qualquer animal no Brasil possa ser fonte de transmissão do novo coronavírus.

Teste Rápido para COVID-19

QUAIS AS CHANCES DE ACERTO DO EXAME?
O Kit utilizado tem 95,5% de Sensibilidade (resultados positivos), e especificidade de 95,4% (resultados negativos).

COMO É FEITO A COLETA?
A coleta é realizada através de amostra de sangue.

QUAL O PERÍODO IDEAL PARA REALIZAÇÃO DO EXAME?
A partir do 7º dia de início dos sintomas.

SE EU JÁ TIVE A DOENÇA O TESTE ACUSA?
Sim, se houve contato com a doença a corpo produz os anticorpos onde será apresentado a positividade do IgG.

O RESULTADO SENDO POSITIVO É NECESSÁRIO UMA CONTRA PROVA?
Ainda não foi definido a necessidade de uma contra prova para testes positivos.

SE O RESULTADO DER NEGATIVO JÁ DESCARTA A DOENÇA?
Um resultado negativo não exclui a doença, pois os testes dependem da quantidade de anticorpos produzidos pelo organismo, uma baixa quantidade de anticorpos pode não ser apresentado em um único teste.

Proteção e Prevenção

Neste momento de pandemia do novo coronavírus, é muito importante que você siga as orientações do Ministério da Saúde e dos governos estaduais e municipais. Cada um de nós precisa fazer a sua parte.

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, incluindo o espaço entre os dedos, unhas e punhos;
  • Lavar as mãos principalmente antes de comer e após tossir ou espirrar
  • Se não tiver água e sabão, usar desinfetante para as mãos a base de álcool
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir com um lenço de papel descartável ou com a parte interna do cotovelo (nunca as mãos);
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares;
  • Evitar contato com pessoas que apresentem sinais da doença;
  • Evitar sair de casa;
  • Evitar locais de muita aglomeração;
  • Pessoas doentes devem permanecer em casa e, caso a doença se agrave, procurar a unidade básica de saúde;
  • Grupos vulneráveis , como idosos, crianças, gestantes, pessoas com doenças crônicas ou com imunodeficiência, devem ficar mais atentos às manifestações clínicas;
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
Isolamento Domiciliar
  • O que é e quem deve ficar em isolamento domiciliar?

Segundo o Ministério da Saúde, os casos suspeitos leves podem não necessitar de hospitalização e podem ser acompanhados pela atenção primária com medidas de precaução domiciliar.

Nos casos leves é possível a adoção de medidas restritivas individuais de isolamento e quarentena domiciliar, com restrição de contatos com pessoas e ambientes externos.

O isolamento domiciliar é indicado para casos suspeitos ou confirmados que não forem classificados como graves e para pacientes sem sintomas mas que tiveram ou mantém contato com alguém que tenha o diagnostico confirmado.

 

  • Tenho um caso confirmado em casa ou tive contato com alguém com suspeita: quais são os principais cuidados para evitar a contaminação de outras pessoas?

é indicado que o paciente em isolamento adote as seguintes medidas:

  • Ficar em casa voluntariamente por 14 dias a partir da data de chegada no Brasil
  • Manter distância de familiares, permanecendo em ambiente privado
  • Manter o ambiente do local com ventilação natural
  • Usar máscara descartável, que deve ser trocada quando úmida
  • Não ir a escola, trabalho ou locais públicos, só sair de casa em situação de emergência
  • Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com lenço descartável
  • Higienizar as mãos frequentemente
  • Evitar tocar boca, olhos e nariz
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal.
Idosos

Por que idosos são do grupo de risco?

Idosos são grupo de risco, mas outras faixas etárias merecem atenção. Pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, gente de qualquer idade que tenha comorbidades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.

Visitas e isolamento, como lidar?

Visitas devem ser evitadas. O ideal é ficar distante e evitar o contato físico, porque pessoas com sintomas leves podem infectá-los. Mas isso não significa que o idoso vai ficar sem saber notícias da família ou manter contato. Dependendo da intimidade dele com as tecnologias, é possível fazer videochamadas ou trocas de mensagens por aplicativos. Se não for possível, basta recorrer ao telefone.

É importante saber se os idosos estão se alimentando bem e tomando as medicações de forma correta.

As famílias precisam avaliar todas as possibilidades e as necessidades dos pais e avós para saber das condições deles estarem sozinhos.

Como proteger os idosos que ficam em caso e eu preciso sair para trabalhar?

Ao sair, devemos evitar tocar superfícies e no rosto, manter as mãos sempre higienizadas e tentar sempre evitar aglomerações. Ao chegar em casa, devem tirar os sapatos e a roupa, fazer a higienização das mãos e evitar tocar nos idosos. O uso de máscaras de tecido é recomendado para pessoas que estão indo para a rua.

Máscaras

Quem deve usar máscaras?

Atualmente, todo mundo que sai do isolamento deve usar máscaras – de preferência caseiras, para deixar os equipamentos de proteção específicos para os profissionais da saúde que estão lutando contra a covid-19 nos hospitais.

Que tipo de máscara é mais recomendado para casos de coronavírus?

Desde que a pandemia chegou ao país, duas máscaras estão sendo bastante procuradas:

  1. Cirúrgica descartável ==> Feita de um material chamado “não tecido”, é a mais popular, encontrada nas farmácias.
  2. Modelo N95 ==>  É elaborada para profissionais de saúde, pois impede a passagem de partículas pequenas contaminantes, como os aerossóis (expelidos geralmente durante o processo de intubar ou aspirar o paciente).

Nesse momento, a recomendação é que a população faça em casa máscaras improvisadas (máscaras caseiras) com um tecido grosso para se proteger e deixe as máscaras específicas para os profissionais da saúde ou que prestam serviço ao público em supermercados, farmácias etc, pois esses itens estão em falta

O que é importante saber sobre as máscaras caseiras?

A recomendação atual é usar máscaras caseiras – e seguir com outros cuidados, como lavar sempre as mãos, evitar ficar tocando olhos, bocas e nariz e manter cerca de 2 metros de distância de outras pessoas quando estiver na rua.

Acontece que os tecidos que temos em casa não possuem a trama fechada o suficiente para barrar pequenas partículas com o vírus para o ambiente, mas elas ajudam a impedir que partículas maiores entrem no seu organismo.

Alguns cuidados são necessários: é preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, dupla face. A máscara é individual. Não pode ser dividida com ninguém.

As máscaras caseiras podem ser feitas em algodão (sabe aquela camiseta ou cueca velhas? Pode ser também!), TNT, lenço, bandana ou outros tecidos (tricoline, por exemplo), desde que higienizadas corretamente.

O importante é que a máscara cubra totalmente a boca e nariz e que esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

Vacina da gripe protege contra o novo coronavírus?

A vacina da gripe protege contra alguns tipos de vírus da família influenza.

A população vacinada contra outros tipos de vírus com sintomas parecidos com Covid-19, o fluxo de pessoas nos hospitais é reduzido, evitando aglomeração e uma maior contaminação.

Durante o diagnóstico de Covid-19, as pessoas vacinadas contra a gripe têm menos chances de estarem com H1N1 ou outros vírus da família influenza. Isso ajuda a definir um diagnóstico mais rápido e preciso da doença.

Quando uma pessoa está se recuperando de uma gripe comum por exemplo, é normal que a sua imunidade esteja mais baixa do que o normal. Um sistema imunológico fraco aumenta as chances de contrair coronavírus. Evitando as gripes influenzas, é possível reduzir as chances de ser infectado pelo Covid-19.

  • Existe uma vacina, medicamento ou tratamento para a COVID-19?

Até o momento, não há vacina nem medicamento antiviral específico para prevenir ou tratar a Covid-19. No entanto, no dia 24 de abril, a Organização Mundial de Saúde anunciou que diversos países, convocados pela União Europeia e pela Organização das Nações Unidas, lançaram uma aliança para que esforços sejam concentrados na busca por uma vacina e sua distribuição igualitária.

COVID x GRIPE X RESFRIADO

Quais as diferenças

Confira abaixo alguns sintomas e saiba se eles são mais comuns ou raros nos casos de covid-19, gripes e resfriados:

Febre

  • Coronavírus (covid-19): COMUM
  • Resfriado: RARO
  • Gripe: COMUM

Cansaço

  • Coronavírus (covid-19): ÀS VEZES
  • Resfriado: ÀS VEZES
  • Gripe: COMUM

Tosse

  • Coronavírus (covid-19): COMUM (geralmente seca)
  • Resfriado: LEVE
  • Gripe: COMUM (geralmente seca)

Espirros

  • Coronavírus (covid-19): RARO
  • Resfriado: COMUM
  • Gripe: RARO

Dores no corpo e mal-estar

  • Coronavírus (covid-19): ÀS VEZES
  • Resfriado: COMUM
  • Gripe: COMUM

Coriza ou nariz entupido

  • Coronavírus (covid-19): RARO
  • Resfriado: COMUM
  • Gripe: ÀS VEZES

Dor de garganta

  • Coronavírus (covid-19): ÀS VEZES
  • Resfriado: COMUM
  • Gripe: ÀS VEZES

Diarreia

  • Coronavírus (covid-19): RARO
  • Resfriado: RARO
  • Gripe: ÀS VEZES (em crianças)

Dor de cabeça

  • Coronavírus (covid-19): ÀS VEZES
  • Resfriado: RARO
  • Gripe: COMUM

Falta de ar

  • Coronavírus (covid-19): ÀS VEZES
  • Resfriado: RARO
  • Gripe: RARO

QUIZZ - Vamos ver o que você sabe sobre o novo coronavírus?

Cuidados básicos que você precisa saber e fazer para prevenir o contágio elo COVID-19:

Baixe nossos infográficos e material de apoio

Desenvolvemos alguns materiais para informação de apoio. Baixe e imprima.

Vídeos

Diversos vídeos de esclarecimento e apoio. Se inscreva AQUI no nosso canal do Youtube

Links Úteis

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde lança o app Coronavírus-SUS com o objetivo de conscientizar a população sobre o Corona Vírus COVID-19, para isso o aplicativo conta com as seguintes funcionalidades…

Fake News

Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério da Saúde, de forma inovadora, está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população…

Blog Perfil News

  • Tudo
  • covid-19
  • ebook
  • epi
  • Medicina do Trabalho
  • Psciologia
  • Segurança no Trabalho
  • SST

Saúde mental na quarentena – COVID-19

Que momento é esse! Estamos vivendo um momento único em nossas vidas, que é a pandemia do COVID 19.
Pense bem! Uma pandemia ocorre de 100 em 100 anos. Quanta coisa acontece e muda nesse tempo? Dá para imaginar como há 100 anos atrás foi passar por um “isolamento social”? Como eles faziam naquela época para passar o tempo? Como lidavam com a situação? Foi melhor ou pior?

EPI´s – Você está usando o seu corretamente?

Em tempos em que não se fala em outra coisa que não seja a pandemia, o COVID 19 trouxe à tona o uso de itens que até pouco tempo eram quase desconhecidos e/ou pouco utilizados por grande parte da população: os EPIs (Equipamento de Proteção Individual).

Sua empresa está preparada para o COVID-19?

Desenvolvemos um material em ebook para falar sobre essa legislação e dar dicas de boas práticas para sua empresa para o caso da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Esse e-book traz ideias e um checklist de ações para que sua empresa se prepare para a pandemia.