GRO e PGR: entenda a diferença entre as duas siglas na Gestão Ocupacional

A preservação da saúde e integridade dos colaboradores é uma prioridade, não só para a Perfil Gestão Ocupacional como, também, para as organizações que prezam por minimizar incidentes relacionados a acidentes e doenças ocupacionais.

Portanto, é importante desenvolver e implementar o Gerenciamento de Risco Ocupacional, o GRO, conforme estipulado pela legislação, a fim de assegurar um ambiente laboral seguro. No artigo de hoje, além de entender um pouco mais sobre a importância do GRO, você também entenderá a diferença entre o Gerenciamento de Risco Ocupacional e o Programa de Gerenciamento de Riscos, também conhecido como PGR.

O que é GRO?

O Gerenciamento de Riscos Ocupacionais, conhecido pela sigla GRO, engloba práticas de gestão destinadas a mitigar os riscos relacionados à saúde e segurança dos colaboradores. 

Essas ações abrangem desde a identificação e avaliação até a implementação de medidas preventivas, visando atenuar eventuais perigos existentes.

Dessa maneira, todos os membros da equipe operam em um ambiente que promove a segurança, contribuindo para uma maior produtividade.

Os funcionários têm pleno conhecimento dos riscos presentes e das medidas a serem adotadas para prevenir acidentes.

Para que o GRO serve?

O objetivo do Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) é identificar todos as ameaças presentes no local de trabalho e determinar as medidas adequadas para sua correção.

Ele visa implementar as ações preventivas necessárias para reduzir incidentes de trabalho e, caso a eliminação completa dos riscos não seja viável, busca diminuir tanto a frequência quanto a gravidade com que esses acidentes ocorrem.

Qual é a importância do GRO?

Além de ser uma exigência obrigatória do Ministério do Trabalho, destinada a preservar a saúde e a integridade física dos colaboradores, o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) também gera impactos positivos em outros aspectos, tais como: aumento da produtividade, diminuição do absenteísmo, redução de custos e preservação ou melhoria da reputação da empresa.

3 princípios do GRO

A fundamentação de todo trabalho de planejamento do GRO deve ter três ideias principais, orientando o trabalho que precisa ser executado. São elas:

1. Eliminar perigos

Identificar quais são os perigos e riscos que podem ser eliminados do ambiente de trabalho. Por exemplo, ambientes com ruídos, nos quais os funcionários recebem protetor auricular.

2. Reduzir riscos que não podem ser eliminados

Aqui, um exemplo é a exposição ao calor, que pode levar à desidratação, insolação, entre outros problemas.

Trabalhadores que realizam atividades ao ar livre devem utilizar chapéu, óculos, protetor solar e roupa térmica.

3. Controlar riscos que não podem ser reduzidos e eliminados

Aqui, entram situações como trabalhadores que dirigem tratores, expostos à constante vibração, ou aqueles que trabalham em empresas de produtos químicos.

O que é o PGR?

Segundo o site gov.br, o “O Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) é a materialização do processo de Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (por meio de documentos físicos ou sistema eletrônico), visando à melhoria contínua das condições da exposição dos trabalhadores por meio de ações multidisciplinares e sistematizadas.”

Quais são os dois principais documentos do PGR?

  1. a) Inventário de Riscos Ocupacionais, que compreende as etapas de Identificação de Perigos e Avaliação de Riscos, de modo a estabelecer a necessidade de medidas de prevenção;
  2. b) Plano de Ação, em que se estabelecem as medidas de prevenção a serem introduzidas, aprimoradas ou mantidas, de modo a eliminar, reduzir ou controlar os riscos ocupacionais.

Quem é o órgão responsável pela elaboração do PGR?

O PGR é uma obrigação constante na NR-01. Dessa forma, todos os empregadores que mantenham trabalhadores como empregados (CLT) devem providenciar a elaboração do PGR.

Entretanto, existem algumas exceções para as quais não é obrigatória a elaboração do PGR.

Qual é a diferença entre GRO e PGR?

O Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) representa a visão macro da gestão da saúde e segurança no trabalho, englobando toda a esfera do gerenciamento de riscos ocupacionais.

Por outro lado, o Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) é apenas um dos componentes inseridos nesse panorama, sendo responsável por estabelecer planos de ação específicos que visam minimizar os riscos identificados.

A compreensão clara e eficaz sobre a diferença entre Gerenciamento de Riscos Ocupacionais (GRO) e Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) é essencial para garantir a segurança e o bem-estar dos colaboradores nos ambientes de trabalho.

Se você deseja aprofundar seus conhecimentos sobre essa temática ou buscar orientações personalizadas para implementar práticas eficazes em sua organização, não hesite em entrar em contato com a Perfil Gestão Ocupacional.

Estamos à disposição para fornecer informações adicionais, esclarecer dúvidas e auxiliar no desenvolvimento de estratégias que promovam um ambiente laboral seguro e conforme as normas regulamentadoras.

Sua segurança e a integridade de sua equipe são nossa prioridade. Entre em contato conosco para obter suporte especializado.

Artigos relacionados

Após dois anos do início da obrigatoriedade da implementação do eSocial na Saúde e Segurança no Trabalho (SST), muitas empresas já puderam observar...

Domicílio Eletrônico Trabalhista

Domicílio Eletrônico Trabalhista (DET): saiba como funciona

...

Após completar 28 anos de atuação no litoral paulista, a Perfil Gestão Ocupacional celebra mais uma grande conquista em 2024. No mês de...

NRs

Neste artigo, vamos mencionar as recentes atualizações das Normas Regulamentadoras (NRs) e seus impactos direto no ambiente de trabalho das empresas. Como líderes...